smg arquitectos | Memorial ao Shoah | Itália | 2015 - smg arquitectos

Memorial ao Shoah | Itália | 2015

Síntese

Com o intuito de manter a memória da Shoah viva, a proposta sugere dois círculos em aço, quando esta forma geométrica, representa de uma forma inquestionável o infinito. Um círculo interno e um círculo exterior toca um  num outro com sutileza, não contendo o mesmo centro.

Estes dois elementos representam um vazio dentro de outro vazio que em última análise, representa a quantidade de vidas que foram perdidas, materializando o vazio. Vazios que estão cheios de memória, onde a ausência é uma forma, uma “matéria palpável”.
O Menorial está isento de símbolos que possibilitem discriminar pessoas como: soviéticos, opositores políticos, ciganos, homossexuais, testemunhas de Jeová, deficientes, doentes mentais,  judeus que morreram nos campos de extermínio, e ainda, judeus que nunca ido para os campos da morte.
Os vazios integram as vidas que foram ceifadas. A presença delas são sentidas na sua ausência. Através deste paradoxo, as vidas daqueles que se perderam e suas memorias perduram.
O objeto redondo é proposto essencialmente em aço ‘CORTEN’, um aço aparentemente enferrujado, que sofre mutações com diferentes tons  ao longo do tempo, babando-se, e marcando uma zona territorial no seu próprio lugar, deixando manchas no chão.
As inscrições que são visíveis no Memorial estão totalmente escrito em hebraico.
A posição aleatória dos caracteres hebraicos que são visíveis no círculo exterior de aço, são os que compõem a frase: “SHOAH NEVER AGAIN”, na língua hebraica: השואה- לעולם לא עוד. A posição aleatória dos caracteres, transmite a ideia de caos.
Por dentro do circulo interior, é definido um espaço circular, de modo a poder receber uma quantidade considerável de pessoas. Nesse circulo poder-se-á ler a frase : השואה – לעולם לא עוד  (Shoah Never Again) – escrita até a exaustão, repetidamente, para jamais desvanecer, em toda a superfície do círculo interno, obrigando o visitante olhar para cima pela alta posição do círculo interior.
À noite, a frase repetida é iluminada com uma luz brilhante branca com a parte superior do círculo interno igualmente iluminado.

 


Agradecimento a:

Fernando Manuel Afonso Teixeira Coelho